Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Economia do Brasil volta ao tamanho de 2009 após queda do PIB no segundo trimestre

Economia do Brasil volta ao tamanho de 2009 após queda do PIB no segundo trimestre

Postado em 1 de setembro de 2020 por

Compartilhe agora

BRASÍLIA (Reuters) – A economia do Brasil encolheu no segundo trimestre, a maior já registrada, à medida que medidas de bloqueio anticoronavírus afetaram a atividade em quase todos os setores, puxando a maior economia da América Latina de volta ao tamanho que era em 2009.

A pandemia provocou uma queda de 9,7% no produto interno bruto em relação ao trimestre anterior, informou o IBGE na terça-feira, e uma queda de 11,4% em comparação com o mesmo período do ano passado.

A magnitude da queda da atividade na economia no segundo trimestre foi enorme: a indústria caiu 12,3%, os serviços 9,7%, o investimento fixo 15,4%, o consumo das famílias 12,5% e os gastos do governo 8,8%.

Apenas a agropecuária cresceu no trimestre, 0,4%.

Carlos Kawall, diretor do Banco ASA e ex-secretário do Tesouro, disse que é improvável que a economia do Brasil volte ao ponto em que estava no ano passado até 2023.

“É um período horrível para a economia. Do ponto de vista da economia, das implicações sociais e do desemprego, foi um desastre”, disse ele, acrescentando que está revisando para baixo sua previsão de crescimento de 2021 de 2,7% para 2,1% devido a incerteza quanto ao mercado de trabalho e perspectivas de consumo.

“Os indicadores de alta frequência mostram que a atividade continua se recuperando. No entanto, para que a recuperação seja consistente, é importante continuar a reforma estrutural e a agenda de consolidação fiscal”, disse o órgão em nota.

A previsão atual do governo é de contração de 4,7% do PIB neste ano, o que ainda seria a maior queda anual desde o início dos registros em 1900. A previsão média em uma pesquisa semanal do banco central com economistas é de queda de 5,3%.

A retração no período de abril a junho foi mais acentuada do que os economistas esperavam. A mediana das estimativas de uma pesquisa da Reuters com economistas era de queda de 9,4% no trimestre e queda anual de 10,7%.

O valor do PIB do Brasil a preços correntes foi de 1,65 trilhão de reais (US $ 306 bilhões) no segundo trimestre, disse o IBGE.

O IBGE também revisou os números de janeiro a março para queda de 2,5% do PIB, ante estimativa inicial de queda de 1,5%.

Créditos: Por Jamie McGeever

FONTE: Redação Rota do Sol/ Reuters

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.