Ouça agora na Rádio

N Notícia

Eliana e noivo, Adriano Ricco, mostram rosto da filha, Manuela: 'Muito esperada'

FOTO: A apresentadora recebeu o carinho de amigas famosos, que festejaram a chegada de Manuela, sua segunda filha | Crédito: Manuela Scarpa

Eliana e noivo, Adriano Ricco, mostram rosto da filha, Manuela: 'Muito esperada'

Eliana deu à luz Manuela, sua segunda filha, neste domingo (10).

As informações são do msn Entretenimento/Purepeople

E na tarde desta segunda-feira (11), mostrou pela primeira vez o rostinho da menina, como havia sido prometido pelo noivo da apresentadora, o diretor Adriano Ricco, em rede social. "Nossa Manu foi muito esperada. Obrigada por todo o carinho e orações. Estamos em festa. Viva!", escreveu a artista, acrescentando as hashtags "Mãe de menina", "Mãe de menino", "Tudo por nossos filhos" e "Gratidão".

© AGNews

 

'Manuela foi guerreira', contou apresentadora antes de nascimento

 

Algumas semanas depois de anunciar a gravidez em seu programa dominical, Eliana passou por uma cirurgia delicada, por conta de um deslocamento da placenta. "Eu sofri com a recuperação, mas só pensava na bebê. Deu tudo certo. A Manuela foi uma guerreira. Hoje tenho apenas a lembrança deste momento bastante tenso e as cinco cicatrizes das pequenas incisões na barriga por onde passaram as 'pinças' do robô. A partir daí, achei que seria só curtir a gravidez tranquilamente como na do meu primeiro filho, Arthur, hoje com 6 anos. Daquela vez, me senti super disposta o tempo todo e trabalhei até quase a véspera do seu nascimento", afirmou em entrevista à revista "Contigo!" a mãe de Arthur, de seis anos, fruto do casamento dela com João Marcelo Bôscoli.

 

Eliana sofreu aborto em 2016: 'Choro contido'

 

À publicação, Eliana relembrou ainda um momento difícil no relacionamento no ano passado: após descobrir uma nova gravidez, ela perdeu o bebê. "Conversamos, planejamos, engravidei e comemoramos muito. A alegria, porém, acabou no segundo mês. No início de novembro tive um aborto espontâneo. Além da família e dos muito íntimos, ninguém soube nem da euforia e nem da tristeza que vivemos, do desabar dos sonhos. Aliás, pouco se fala da dor e do luto de uma gravidez interrompida. A mulher ou o casal vive isso no silêncio, no choro contido. Dois dias após a curetagem, um processo difícil, tanto físico como emocionalmente, eu já estava no palco, ao vivo por horas, no comando do Teleton, a maratona televisiva em prol da AACD, da qual sou madrinha", contou.

(Por Marilise Gomes)

FONTE: msn ENTRETENIMENTO/Purepeople
Link Notícia