NOTÍCIAS


Aposentado encontrado morto em casa incendiada pode ter sido assassinado, aponta laudo do IML; polícia reabre inquérito, no Paraná | Norte e Noroeste


A Polícia Civil está tentando desvendar o que houve por trás da morte de Antônio Monteiro de Oliveira, de 76 anos, em Faxinal, no norte do Paraná.

O aposentado foi encontrado morto no incêndio da casa dele, em fevereiro de 2022. Entretanto, o laudo do Instituto Médico-Legal (IML), divulgado em 10 de junho, indica que a causa da morte foi um ferimento no pescoço provocado, provavelmente, por uma faca.

De acordo com o legista, o aposentado teve uma hemorragia aguda em lesões no pescoço que foram causados por arma branca.

“A gente estava aguardando a causa mortis, possivelmente uma asfixia ou decorrente ali do fogo, alguma coisa assim. Aí veio apontando que no corpo da vítima tinha as lesões”, disse o delegado Ricardo Mendes.
Antônio Monteiro de Oliveira morreu aos 76 anos, em Faxinal — Foto: Arquivo pessoal

Antônio Monteiro de Oliveira morreu aos 76 anos, em Faxinal — Foto: Arquivo pessoal

O delegado responsável pelo caso informou que ouvirá as testemunhas e reanalisará as provas. Segundo ele, o aposentado tinha bom relacionamento na cidade.

Agora, com a divulgação do laudo, a polícia mudou a linha de investigação sobre o incêndio.

“Sendo um homicídio ou latrocínio, o incêndio foi justamente para tentar ocultar o esclarecimento desse fato”, explicou o delegado.

À época do incêndio, o corpo de Oliveira foi encontrado nos escombros. Na ocasião, as investigações da polícia apontavam para um acidente ou suicídio do aposentado, que vivia sozinho no local.

O procedimento, em casos como esse, é encaminhar a vítima para exames no IML, por isso, o corpo dele passou pela necropsia.

Elisângela Soares de Oliveira Salviani é filha única de Oliveira. Ela mora em Londres, na Inglaterra, e disse que sempre duvidou que o pai tivesse cometido suicídio. Mesmo à distância, continua acompanhando o caso.

“Porque isso foi muito cruel, né? Toda a morte em si, e pegar fogo na casa. Porque a pessoa fez isso, a pessoa teve tempo para pensar, em como agir. Eu espero que isso seja resolvido o mais rápido possível, porque isso aconteceu em fevereiro, os dias vão passando, os meses vão passando, e a gente não tem uma resposta concreta”, contou.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 Paraná



Fonte: G1


16/06/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
MANHÃ 107