NOTÍCIAS


Casal preso em operação da PF contra fraude com criptomoedas no Paraná fez mais de 3 mil vítimas | Oeste e Sudoeste


A Polícia Federal (PF) prendeu nesta segunda-feira (21) um casal suspeito de fraude envolvendo criptomoedas. As prisões foram em Missal e Medianeira, no oeste do Paraná.

Segundo a polícia, o casal prometia aos clientes remunerações diárias e mensais muito acima das praticadas pelo mercado. A investigação mostrou que o golpe movimentou cerca de R$ 6 milhões de forma ilícita e fez ao menos 3 mil vítimas.

Além das prisões, a polícia cumpriu três mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 9ª Vara Federal de Curitiba, cidade onde os suspeitos cometeram o crime.

De acordo com a investigação, em 2019 o casal montou uma empresa em Curitiba e , por meio de um site, passou a oferecer ao público serviços com negociações de criptomoedas.

Ao contratar os serviços, conforme apontou a investigação, os clientes da empresa acreditavam que robôs automatizados é que eram responsáveis por operar os valores investidos e rendimentos pelo prazo contratado.

Com o prazo finalizado, os clientes tinham que optar por renovar o serviço ou encerrar e solicitar o saque do valor investido e dos lucros.

Ao acessar a página, os clientes eram surpreendidos com lucros expressivos, motivo pelo qual a maioria deles optava por renovar o contrato.

Como forma de aumentar o número de vítimas, a empresa oferecia benefícios e pontuações para quem indicasse novas pessoas para investir no negócio. Entre as bonificações, estavam viagens e itens de luxo, informou a PF.

Depois de um tempo, alguns clientes passaram a solicitar os saques dos valores investidos e dos rendimentos, mas não receberam o montante.

Em resposta, o casal apresentava inúmeras justificativas, atribuindo os problemas a terceiros.

A investigação mostrou ainda que mesmo não entregando os valores prometidos aos clientes, o casal compartilhava fotos e vídeos nas redes sociais demonstrando ter grande poder aquisitivo, com casas e carros de luxo.

Após diversas denúncias contra o casal, segundo a PF, a empresa foi fechada e os suspeitos se mudaram para a região oeste do estado.

Na região, conforme a investigação, o casal adquiriu imóveis para usar e dar aparência de legalidade aos valores recebidos das vítimas.

Segundo a polícia, o homem passou a utilizar outro nome e realizava movimentações financeiras e comerciais por intermédio de terceiros para ocultar ilegalidades.



Fonte: G1


21/03/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107