NOTÍCIAS


Chuvas fortes que atingiram Curitiba podem ocorrer em outras áreas do Sul do Brasil, diz meteorologista


A MetSul, empresa de meteorologia, publicou um alerta neste domingo (16) afirmando que as chuvas fortes que atingiram Curitiba podem ocorrer também em outras áreas do Sul do Brasil no começo da semana.

De acordo com a meteorologista Estael Sias, serão episódios isolados de chuva, mais da tarde para a noite, gerados pela massa de ar muito quente e a maior disponibilidade de umidade na atmosfera.

“Eventos localizados de chuva com volumes excepcionalmente altos em curto períodos devem ser esperados em áreas do Sul do Brasil neste começo de semana. Não se trata de chuva intensa generalizada nem persistente. Muitas cidades do Sul do país sequer devem ter registro de precipitação entre este domingo e a terça-feira”, disse ela.

Em Curitiba, um temporal durante o sábado (15) alagou várias regiões da cidade, com transbordamento de rio e destelhamentos por vento em alguns bairros.

  • Temporal alaga Hospital do Trabalhador e interrompe atendimento
  • Capital registra 57% da média histórica de chuvas para o mês na primeira quinzena de janeiro
Rio Belém, em Curitiba, transbordou no sábado (15) — Foto: Reprodução

Rio Belém, em Curitiba, transbordou no sábado (15) — Foto: Reprodução

A meteorologista informou que o cenário atmosférico atual e dos próximos dias é extremamente favorável ao registro desses episódios de chuva excessiva em curto período.

“Por isso, cenas como de ruas inundadas em Curitiba durante a tarde e noite do sábado devem se repetir neste domingo e nesta semana em outras cidades. Curitiba, inclusive, pode voltar a registrar temporais de chuva intensa. Há o risco também em Florianópolis e mesmo em Porto Alegre e região, apesar de o risco ser menor que nas outras capitais do Sul”.

Segundo Estael, esses temporais, que ocorrem da tarde para a noite, podem despejar quantidades enormes de chuva em pontos localizados com volumes até de 50 mm a 100 mm em apenas uma hora ou duas, o que traz alagamentos e inundações repentinos, transbordamento de rios, córregos e arroios, e ainda outros transtornos para a população.

“Insistimos que são ocorrências isoladas e que às vezes atingem apenas parte de um município (bairros ou distritos), o que não permite antecipar muitas horas ou dias antes onde exatamente estes eventos ocorrerão, sendo possível apenas pontuar o risco e indicar quais regiões (área mais ampla) têm possibilidade destes eventos localizados”, ressaltou a meteorologista.

Hospital do Trabalhador alagado

Temporal alaga Hospital do Trabalhador de Curitiba e interrompe atendimento

Temporal alaga Hospital do Trabalhador de Curitiba e interrompe atendimento

O Hospital do Trabalhador (HT) de Curitiba alagou após a forte chuva que atingiu a cidade entre a tarde e noite de sábado.

De acordo com o diretor do Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), Dr. Geci Labres de Souza, por causa das chuvas foi preciso interromper o atendimento e fechar o pronto-socorro, além de direcionar pacientes para outros hospitais.

“Tivemos ontem, devido às fortes torrenciais na cidade, um alagamento na nossa área de pronto-socorro, atingindo não só a área de atendimento, mas os equipamentos principalmente de tomografia e raio-x. Houve um abundante volume de água entrando pelas portas, o que determinou a interrupção do atendimento, o deslocamento dos pacientes daquela área para outras áreas mais seguras do hospital e a necessidade de fechamento do pronto-socorro para atendimento de ambulâncias e demais vítimas, que foram direcionadas para outros pronto-socorros da cidade”, disse ele.

Além disso, o diretor informou que as equipes de engenharia e manutenção, em parceria com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e a Prefeitura de Curitiba, estão trabalhando para poder retornar com as atividades no hospital.

Temporal alaga Hospital do Trabalhador de Curitiba e interrompe atendimento — Foto: Divulgação/HT

Temporal alaga Hospital do Trabalhador de Curitiba e interrompe atendimento — Foto: Divulgação/HT

Por meio de nota, Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) afirmou que não há previsão de normalização do atendimento no Hospital do Trabalhador.

“Os equipamentos estão sendo avaliados tecnicamente e a equipe do hospital trabalha para restabelecer as condições operacionais o mais rápido possível, mas, neste momento, a unidade permanece com restrição de atendimento”.

Após forte chuva em Curitiba, Hospital do Trabalhador alaga e interrompe atendimento — Foto: Reprodução/RPC

Após forte chuva em Curitiba, Hospital do Trabalhador alaga e interrompe atendimento — Foto: Reprodução/RPC

Média histórica de chuvas para o mês

A capital registrou 57% da média histórica de chuvas para o mês na primeira quinzena de janeiro, conforme dados do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

No sábado, segundo o Simepar, houve rajadas de 39,6 km/h e um acumulado de precipitação de 62,2 milímetros registradas na estação pluviométrica do Cemadem (Cachoeira).

Alguns locais da cidade apresentaram pontos de alagamento. A via rápida que liga o bairro Cabral ao Centro ficou alagada no mesmo ponto onde no início do mês um muro cedeu por causa da chuva. O prédio que fica do outro lado da rua registrou novamente alagamento na garagem.

O rio Rio Belém, que fica próximo da Vila Capanema, transbordou e invadiu parte das casas da região. Na Linha Verde do Boqueirão também foram registrados pontos de alagamento.

Chove forte em Curitiba no fim da tarde de sábado (15)

Chove forte em Curitiba no fim da tarde de sábado (15)

Estragos na capital no início de janeiro

No dia 6 de janeiro, uma forte chuva atingiu a capital. De acordo com a Defesa Civil, houve o registro de três situações de desabamentos. No bairro Bigorrilho, a parede do subsolo de um prédio desabou. No bairro Santa Cândida, o muro de um condomínio também desabou.

No bairro Cabral, um muro desmoronou, e uma garagem de um condomínio ficou alagada. Além disso, no bairro Batel, parte do telhado de um restaurante desabou.

Também houve o registro de alagamentos nas regiões da Praça Osório, Rodoferroviária, trincheira da Rua General Mário Tourinho, e nos bairros Fazendinha, Novo Mundo, Bacacheri e Cidade Industrial de Curitiba (CIC).



Fonte: G1


16/01/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
AMOR SEM FIM