NOTÍCIAS


Corpos das 11 vítimas de acidente com ônibus no Paraná começam a ser liberados para as famílias, diz IML


Conforme o instituto, até o fim da manhã desta sexta-feira (1º), quatro corpos tinham sido liberados às famílias. A previsão é que os outros sete sejam liberados até o fim do dia.

Todas as 11 vítimas eram homens trabalhadores, com idades entre 28 e 64 anos, dos estados do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Pará, Piauí e Alagoas.

A chefe do IML de Londrina, Cristiane de Souza Batilana, disse que um representante da empresa responsável pelo transporte dos trabalhadores, a Engemec, conseguiu a liberação dos corpos por meio de procurações autorizadas pelos familiares.

“As famílias estavam mantendo contato com a empresa, e ela se colocou à disposição para fazer essa liberação mediante procuração de cada familiar responsável pelo seu falecido”, explicou.

A Polícia Civil informou que instaurou inquérito para apurar o caso e começará a ouvir as testemunhas na segunda-feira (4).

Os depoimentos serão prestados em Curiúva, na delegacia onde está concentrada a investigação, ou por vídeo conferência, conforme a polícia.

De acordo com a Polícia Civil, o ônibus não foi retirado do local nesta sexta-feira por causa do mau tempo. A expectativa é que ele seja guinchado e levado para perícia na segunda-feira.

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, em Sapopema — Foto: PRE

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, em Sapopema — Foto: PRE

O ônibus que caiu na ribanceira e deixou, além dos mortos, 20 feridos, não tinha autorização para o transporte interestadual de trabalhadores, conforme a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

A ANTT informou ainda que o motorista Adilson Dias, de 52 anos, que morreu no acidente, não tinha cadastro ativo junto ao órgão.

Conforme a agência, o ônibus não está habilitado para transporte regular e consta como inativo para fretamento na frota de Transportes Labor Ltda, que tem a propriedade do veículo.

O veículo também não apresenta, nesta quinta-feira, nenhuma apólice de Seguro de Responsabilidade Civil para o veículo, requisito obrigatório para o transporte de passageiros, informou a ANTT.

A RPC entrou em contato com a empresa Engemec, mas não recebeu um posicionamento sobre as irregularidades apresentadas pela ANTT.

Os responsáveis da empresa, que estão em Londrina, também foram procurados, mas eles não quiseram dar entrevista.

A Klabin, onde os trabalhadores iriam atuar, informou que lamenta profundamente a tragédia em Sapopema e disse que aguarda a conclusão das investigações sobre o ocorrido junto aos órgãos competentes.

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, no Paraná

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, no Paraná

De acordo com o delegado André Luis Garcia, as investigações serão concentradas na Delegacia de Curiúva.

Na quinta-feira, peritos da criminalística começaram a apurar o caso para tentar esclarecer o que causou o acidente.

A perícia irá analisar se houve falha humana, no ônibus, na pista ou se a queda foi causada por outro veículo.

“Vou requisitar perícia técnica no veículo para a gente saber quais eram as condições, pneu, sistema de freio, mas também aguardo a possibilidade de tomar depoimento dos sobreviventes, para que eles contem o que eles viram, o que presenciaram”, disse o delegado.

Os trabalhadores que morreram no acidente estavam viajando para fazer uma manutenção em uma indústria que produz papéis e embalagens em Telêmaco Borba, na região dos Campos Gerais.

O veículo saiu de Três Lagoas (MS) e iria deixar os trabalhadores na fábrica da Klabin.

Sapopema fica a cerca de 70 km de Telêmaco Borba. Até o local do acidente, o ônibus tinha percorrido quase 500 km.

A Klabin, que é a maior indústria produtora e exportadora de papéis do Brasil, disse que os trabalhadores eram contratados de uma empresa terceirizada chamada Engemec.

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, em Sapopema — Foto: Mônica Dau/RPC

Ônibus cai em ribanceira e deixa 10 mortos e outros 21 feridos, em Sapopema — Foto: Mônica Dau/RPC

Tanto a Klabin quanto a Engemec lamentaram o acidente e disseram que estão auxiliando as vítimas e familiares.

De acordo com a Klabin, a indústria programou uma parada geral no dias 15 e 16 de abril para manutenção. O procedimento é comum. Mais de 3 mil pessoas devem executar os serviços, sendo todos terceirizados.

O acidente aconteceu por volta das 22h de quarta-feira, no km 268 da PR-090. O trecho fica na localidade conhecida como Serra Fria e tem pista simples.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), chovia no momento do acidente. A investigação acredita que o motorista tenha perdido o controle da direção, vindo sair com o veículo da pista e capotado.

Os bombeiros disseram que sete pessoas morreram ainda no local do acidente. Outras três vítimas morreram no hospital. A última morreu enquanto era transferida de instituição.

Ainda de acordo com os bombeiros, foram resgatadas 10 vítimas em estado grave e outras quatro com ferimentos moderados. Os demais ocupantes tiveram ferimentos leves.

Alguns passageiros foram ejetados do ônibus, durante o capotamento. Conforme o Corpo de Bombeiros, alguns trabalhadores foram resgatados por pessoas que passavam pela rodovia.

Acidente deixou 10 pessoas mortas, em Sapopema — Foto: Arte/g1

Acidente deixou 10 pessoas mortas, em Sapopema — Foto: Arte/g1



Fonte: G1


01/04/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
NATIVO E SERTANEJO