NOTÍCIAS


Descendentes de ucranianos em Prudentópolis fazem ato de apoio ao país após invasão russa


A maior comunidade ucraniana do Brasil fica em Prudentópolis. Dos 52 mil habitantes, 75% são de descendentes ucranianos.

Alguns participantes foram vestidos com roupas ucranianas, marcadas pelos traços e bordados. Outros, do grupo dos Cossacos, usaram trajes dos guerreiros que protegiam a fronteira da Ucrânia no século XIX.

Moradores de Prudentópolis fazem ato em apoio à Ucrânia — Foto: Lucas Henning/RPC

Moradores de Prudentópolis fazem ato em apoio à Ucrânia — Foto: Lucas Henning/RPC

Além disso, a Comunidade Católica também se reuniu. O ato começou com desfile de bandeiras, depois eles cantaram o hino da Ucrânia e, na sequência, o hino nacional brasileiro.

Moradores de Prudentópolis fazem ato em apoio à Ucrânia — Foto: Lucas Henning/RPC

Moradores de Prudentópolis fazem ato em apoio à Ucrânia — Foto: Lucas Henning/RPC

Dom Meron Mazur, bispo greco-católico ucraniano brasileiro e primeiro eparca da Imaculada Conceição em Prudentópolis dos Ucranianos e outros padres celebraram um momento religioso de oração.

Prudentópolis possui a maior comunidade ucraniana do Brasil — Foto: Lucas Henning/RPC

Prudentópolis possui a maior comunidade ucraniana do Brasil — Foto: Lucas Henning/RPC

Prudentópolis, maior comunidade ucraniana do Brasil, é considerada cidade-irmã de Ternópil — Foto: Lucas Henning/RPC

Prudentópolis, maior comunidade ucraniana do Brasil, é considerada cidade-irmã de Ternópil — Foto: Lucas Henning/RPC

Paranaenses lamentam ataque da Rússia à Ucrânia

Paranaenses lamentam ataque da Rússia à Ucrânia

Prudentópolis é considerada cidade-irmã de Ternópil, segundo a prefeitura. A distância entre Ternópil e Kiev, capital do país e um dos alvos da Rússia, é de 461 quilômetros. Não há informações sobre conflitos em Ternópil.

“Prudentópolis segue com as portas e com o coração aberto ao povo ucraniano como o fez há mais de cem anos, quando recebeu os primeiros imigrantes que aqui construíram sua história e influenciaram diretamente no modo de vida de nossa terra”, diz trecho da nota, referenciando a data de chegada dos primeiros imigrantes ucranianos à Prudentópolis, em 1896.

Matriz São Josafat é uma das 50 igrejas do ucranianas do município — Foto: Divulgação/Paróquia São Josafat

Matriz São Josafat é uma das 50 igrejas do ucranianas do município — Foto: Divulgação/Paróquia São Josafat

Dados da prefeitura indicam que entre os 52.776 moradores de Prudentópolis, cerca de 75% têm descendência ucraniana.

O documento, assinado pelo prefeito de Prudentópolis Osnei Stadler (DEM), foi endereçado ao prefeito Serhij Nadal. O ofício, traduzido por membros da comunidade ucraniana do município paranaense, diz que a cidade está pronta para “prestar ajuda no que for preciso”.

Atualmente, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 500 mil ucranianos e descendentes vivem em terras brasileiras, o que representa a quarta maior comunidade do mundo.

Ucraniana que morou no Brasil relata tensão no país

Ucraniana que morou no Brasil relata situação em Kiev

Ucraniana que morou no Brasil relata situação em Kiev

A ex-consulesa ucraniana no Paraná Larysa Myronenko, que viveu no Brasil há cerca de 10 anos e atualmente mora em Kiev, capital da Ucrânia, relatou a situação na cidade nesta quinta-feira (24), após a invasão da Rússia ao país.

Em entrevista à RPC, ela afirmou ter ouvido os bombardeios e destacou que os ucranianos estão mobilizados. Ouça acima.

“Hoje é uma grande tristeza, uma grande decepção de tudo o que aconteceu com a Ucrânia e dizendo mais globalmente, na Europa. Às 5h a Rússia atacou a Ucrânia e fomos testemunhas de bombardeios. Infelizmente, isso é trágico, e há mortos da população civil e feridos. Gostaria de dizer que estamos todos sem panico, estamos mobilizados”, disse.

Larysa reforçou ainda que a população ucraniana tem “grande fé nas forças armadas que agora lutam para a Ucrânia”.

Em um vídeo gravado nesta quinta-feira, Larysa comentou que está acompanhando as atualizações sobre a situação da cidade e que os moradores devem passar um tempo abrigados nos prédios.

“Geralmente, a situação ainda está normal, a vida continua, mas nós temos que descer agora nos abrigos. Os prédios da cidade têm abrigos e nós temos que descer para passar alguns minutos ou talvez horas lá nos abrigos. É a guerra. Mas os ucranianos são fortes, mobilizados”, comentou.

Ucraniana que morou no Brasil relata preocupação em Kiev

Ucraniana que morou no Brasil relata preocupação em Kiev

A ligação de Prudentópolis com as raízes ucranianas ocorre desde a criação do município, segundo a prefeitura, e vem sendo cultivada com o passar dos anos.

Em 2021, após aprovação na Câmara Municipal e sanção do prefeito, a língua ucraniana foi oficializada como língua co-oficial no território de Prudentópolis.

  • Brasileiros em área de conflito na Ucrânia serão retirados, diz embaixador

Na justificativa para a decisão, o texto do projeto de lei afirmava que, na cidade, “a importância da língua ucraniana é singular, posto que ainda há publicações em ucraniano, celebrações religiosas, e programação radiofônica na língua trazida pelos imigrantes”.

Larysa Myronenko é ex-consulesa ucraniana no Paraná e ouviu bombardeios em Kiev, durante invasão russa — Foto: Divulgação/Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar)

Larysa Myronenko é ex-consulesa ucraniana no Paraná e ouviu bombardeios em Kiev, durante invasão russa — Foto: Divulgação/Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar)

Norton Rapesta, embaixador do Brasil em Kiev, disse que os brasileiros que estão em regiões afetadas serão evacuados. Ele não deu detalhes sobre como essa evacuação será feita.

Assista aos vídeos mais acessados do g1 PR



Fonte: G1


24/02/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107