NOTÍCIAS


Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa


As igrejas ucranianas de Curitiba, juntamente com as sociedades de cultura ucraniana (SUBRAS e Clube Poltava) e a Representação Central Ucraniano Brasileira (RCUB), realizaram na noite desta sexta-feira (25) um ato de apoio ao país após invasão russa.

O “ato de apoio à Ucrânia – Rezemos pela Paz” começou por volta das 19h, no Memorial Ucraniano, no Parque Tingui, na capital.

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Participantes estavam vestidos com roupas bordadas e seguravam bandeiras e velas. Eles fizeram momentos de oração pedindo pela paz.

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Os representantes discursaram contra a invasão russa ao território ucraniano e clamando o fim dos conflitos no Leste Europeu.

A celebração também reuniu algumas autoridades, como o prefeito Rafael Greca (DEM).

Ato de apoio à Ucrânia - Rezemos pela Paz começou por volta das 19h, no Memorial Ucraniano, no Parque Tingui — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Ato de apoio à Ucrânia – Rezemos pela Paz começou por volta das 19h, no Memorial Ucraniano, no Parque Tingui — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana de Curitiba faz ato pela paz — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Os representantes discursaram contra a invasão russa ao território ucraniano e clamando o fim dos conflitos no Leste Europeu — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Os representantes discursaram contra a invasão russa ao território ucraniano e clamando o fim dos conflitos no Leste Europeu — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Descendentes de ucranianos que moram em Curitiba fazem ato de apoio ao país após invasão russa — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Comunidade ucraniana no Paraná

A cidade de Prudentópolis, na região central do Paraná, tem cerca de 75% da população ucraniana, tendo a maior comunidade de ucranianos do Brasil, de acordo com a prefeitura.

O município possui 52.776 habitantes, segundo a última estimativa populacional feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2021, após aprovação na Câmara Municipal e sanção do prefeito, a língua ucraniana foi oficializada como língua co-oficial no território de Prudentópolis.

Na justificativa para a decisão, o texto do projeto de lei municipal afirmava que, na cidade, “a importância da língua ucraniana é singular, posto que ainda há publicações em ucraniano, celebrações religiosas, e programação radiofônica na língua trazida pelos imigrantes”.

A Rússia iniciou, na madrugada de quinta-feira, uma ampla operação militar para invadir a Ucrânia. Há imagens de explosões e movimentações de tanques em diferentes cidades ucranianas. Putin disse às forças ucranianas que deponham as armas e voltem para casa.

“Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin.

Putin atacou o leste da Ucrânia com misseis e explosões. Em resposta, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que distribuiu armas aos ucranianos.

A capital, Kiev, teve congestionamentos, corrida aos mercados e estações de trem lotadas. Milhares de moradores começaram a deixar a cidade desde as primeiras horas do dia.

Fortes explosões foram ouvidas por jornalistas das agências internacionais de notícias no centro de Kiev e também em outras cidades ucranianas.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, acusou Putin de iniciar uma “invasão em grande escala” contra seu país. “Cidades ucranianas pacíficas estão sob ataque”, tuitou Kuleba.

Países contrários à invasão, como Estados Unidos, França e Inglaterra, anunciaram sanções para sufocar a economia russa, numa tentativa de desestimular os ataques.

Brasileiros que vivem no país tentam deixar a Ucrânia e relatam clima assustador.

Mapa mostra locais da Ucrânia que foram bombardeados em ataques da Rússia — Foto: Arte g1

Mapa mostra locais da Ucrânia que foram bombardeados em ataques da Rússia — Foto: Arte g1

Assista aos vídeos mais acessados do g1 PR



Fonte: G1


25/02/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
SUCESSOS DA TARDE