NOTÍCIAS


Discussão por jogo de baralho motivou assassinato de ex-policial civil em Curitiba, diz MP


Em denúncia apresentada nesta quarta-feira (13), o Ministério Público do Paraná (MP-PR) afirmou que uma discussão por jogo de baralho motivou o assassinato do ex-policial civil José Augusto Paredes. O suspeito, e agora denunciado, é o investigador aposentado da Polícia Civil, Ninrod Jois Santi Duarte Valente.

A Justiça pode acatar ou recusar a denúncia, o que não tem prazo para acontecer.

O crime aconteceu em 3 de abril, em uma distribuidora de Curitiba, e foi filmado por câmeras de segurança. Valente está preso preventivamente. Relembre abaixo.

Vídeo mostra briga entre ex-policiais civis que terminou em morte, em Curitiba

Vídeo mostra briga entre ex-policiais civis que terminou em morte, em Curitiba

O g1 tenta contato com a família de Paredes. A defesa de Valente não respondeu até a publicação desta reportagem.

Na denúncia, o MP alega que o crime foi cometido por motivo fútil. Segundo investigação apontada pelo órgão, Valente não concordou com o posicionamento de Paredes em uma situação anterior ao crime, durante um jogo de baralho que aconteceu em outro estabelecimento. Uma terceira pessoa, que não teve o nome revelado, está envolvida.

De acordo com o MP, antes do crime, Paredes e a terceira pessoa estavam jogando, quando uma discussão foi iniciada por Valente, que alegou que o jogo estava sendo roubado. O MP disse, ainda, que ele foi repreendido e contido pela vítima, morta horas depois.

“O que gerou a revolta do denunciado, e, posteriormente, a desproporcional conduta de matar a vítima”, aponta o MP.
Valente está preso preventivamente — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Valente está preso preventivamente — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Segundo o MP, a forma como o crime foi praticado gerou perigo comum, uma vez que Valente fez disparos de arma de fogo no interior de um estabelecimento comercial onde estavam outras 15 pessoas. Ninguém se feriu.

Vídeo mostra discussão entre ex-policiais civis que terminou em morte, em Curitiba — Foto: Reprodução

Vídeo mostra discussão entre ex-policiais civis que terminou em morte, em Curitiba — Foto: Reprodução

“Uma das pessoas, inclusive, que tocava violão, encontrava-se imediatamente atrás da vítima, na linha direta de tiro do denunciado”, diz o documento.

Na denúncia, o Ministério Público também alegou que a forma como o crime foi cometido dificultou a defesa da vítima, que estava desarmada. O documento cita, ainda, que após atirar contra Paredes, Valente foi até a parte externa da distribuidora para ameaçar a filha da vítima, que estava no local.

“Além disto, [o suspeito] investiu contra a vítima desarmada [filha], que estava em momento de lazer e descontração, sentada em uma mesa externa do estabelecimento conversando com uma amiga, e que não esperava tal ação criminosa do denunciado”.

O Ministério Público também solicitou à Justiça que a prisão de Valente seja mantida.

O crime aconteceu na madrugada de 3 de abril e foi registrado por câmeras do estabelecimento. As imagens mostram o momento em que Valente atirou contra Paredes, que morreu no local.

A distribuidora estava com clientes na hora do crime. O suspeito de atirar foi preso em flagrante, segundo a Polícia Civil. O investigador aposentado foi encaminhado à Central de Flagrantes e, ao ser interrogado, exerceu o direito de ficar em silêncio.

Após o flagrante, ele e o advogado justificaram à polícia problemas de saúde. Na época, a defesa disse que Valente foi atraído ao bar e que tinha informações sobre supostos crimes cometidos por Paredes.

O caso é investigado pelo 9º Distrito Policial.

Um vídeo gravado por uma câmera de segurança mostra que o investigador aposentado suspeito de matar o ex-policial civil foi até o local do crime no mesmo carro que a vítima, segundo a defesa do suspeito.

Suspeito de matar ex-policial foi ao local do crime em carro com a vítima

Suspeito de matar ex-policial foi ao local do crime em carro com a vítima

As imagens foram gravadas na noite de sábado (2), horas antes de Ninrod Valente atirar contra José Augusto Paredes, ex-policial civil, em uma distribuidora de bebidas, no bairro Batel.

Conforme o vídeo apresentado pela defesa de Valente, os dois entraram no carro por volta das 22h30 e seguiram até a distribuidora. Assista ao vídeo acima.

De acordo com informações da polícia, Paredes entrou na corporação em 1994 como investigador, e foi demitido em 2007. Chegou a ser reintegrado em 2020 por decisão judicial, mas no ano seguinte perdeu o cargo, também por decisão da Justiça.

A polícia não informou o motivo da demissão.

Valente entrou na Polícia Civil em 1992 como investigador e está aposentado desde 2012.

Não há informações, até o momento, sobre o terceiro envolvido no caso, que é mencionado pelo Ministério Público na denúncia.

Vídeos mais assistidos do g1 PR:



Fonte: G1


13/04/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
EXPERIÊNCIA DE DEUS