NOTÍCIAS


IPCA: com alta de 74% no ano, leite recua 1% em agosto; especialistas preveem novas quedas | Campos Gerais e Sul


Para o produtor de leite e vice-presidente da cooperativa Castrolanda, Armando Carvalho Filho, a queda deve permanecer ao longo dos próximos meses também por uma regulação do mercado — quando o próprio mercado afeta os preços em decorrência da prática da concorrência e da disposição do consumidor em pagar o valor praticado.

A organização está localizada em Castro, nos Campos Gerais do Paraná, município que possui a maior produção de leite do país, de acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal do IBGE.

“Foi uma bolha, não se sustentou, não houve demanda para esse preço fora da curva. A gente está vendo o mercado se regulando para alguns níveis mais aceitáveis, dessa forma o consumidor vai voltar a comprar e consumir mais também. […] Nosso preço ao produtor ainda não baixou, a expectativa é que se normalize nos próximos meses”, afirmou.

  • Concentrada em combustíveis, deflação não alivia conta do mercado; veja altas e baixas
  • Mercado reduz estimativa de inflação para 6,61% em 2022

Ele ressaltou, contudo, que os custos para os produtores permanecem mais altos na comparação com o ano passado, em especial pela alta nos fertilizantes, combustíveis e commodities.

Variação do preço médio do litro do leite no Brasil (%)

Em agosto, IPCA registrou queda de 1,78% no item

Fonte: IBGE

O cenário de queda até o fim de 2022 também é esperado pelo economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Paraná, Sandro Silva.

Apesar da queda, segundo ele, os patamares de preços registrados no começo do ano não devem ser alcançados no estado. O economista também afirmou que o cenário deve ser parecido em todo o país.

“A gente teve uma alta muito expressiva durante o ano. Em Curitiba, por exemplo, foram quase 80% entre fevereiro e julho. Isso aconteceu porque muitos produtores pararam de produzir por conta da alta no custo e houve também demanda da indústria, em especial para derivados do leite. Com menos produtores e alta demanda, o preço subiu. E teve também a época de entressafra e a condição climática, de seca, que prejudicou a pastagem”, explicou.

  • Produtores de leite encontram soluções para superar aumento no custo da produção

Agora, com a chamada entressafra chegando ao fim – diminuindo a necessidade de suplementação alimentar para os animais – e a proximidade do fim do inverno em especial na Região Sul, a tendência é de queda.

“Analisando os números, a gente vê que essa queda se repete em outras capitais do país, em algumas até de forma mais expressiva, como Porto Alegre e Florianópolis, também Belo Horizonte. Então o preço deve baixar e isso vai ser sentido pelo consumidor, mas dificilmente em um valor que estávamos acostumados antes dessa alta”, ressaltou.

Produtor no município com maior produção de leite, localizado no Paraná, regulação do mercado foi um dos fatores para queda. — Foto: Foto Cedida/Castrolanda

Produtor no município com maior produção de leite, localizado no Paraná, regulação do mercado foi um dos fatores para queda. — Foto: Foto Cedida/Castrolanda

Leite como um dos vilões

Conforme IPCA, no acumulado dos últimos 12 meses, o preço do leite longa vida é de 60,81%. Em Curitiba e Região Metropolitana, o índice é de 51,98%.

Conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em fevereiro, o preço médio do litro de leite integral longa vida no Paraná era de R$ 3,54.

  • Especial g1: o que é inflação
  • Entenda: como inflação mexe no seu bolso

Em agosto, o valor passou a ser de R$ 6,18 no estado, o quinto valor médio mais barato do país.

Paraná tem 2ª maior produção

Ainda de acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal, dois municípios paranaenses figuravam entre os 10 maiores produtores de leite do país em 2020. Além de Castro, em primeiro lugar, a segunda posição era ocupada por Carambeí, também nos Campos Gerais do Paraná.

Os números são os últimos divulgados pelo levantamento, de 2020. Os dados do ano passado devem ser disponibilizados ainda neste mês de setembro.

O levantamento também mostrou que foram mais de 35.445.059 litros produzidos no Brasil em 2020, tendo sido o Paraná responsável por 13% do total.

Números do Departamento de Economia Rural (Deral) colocam o estado em segundo lugar no ranking nacional, atrás apenas de Minas Gerais. A média é de 4,3 bilhões de litros de leite produzidos por ano.

  • Status sanitário do Paraná incentiva cadeia produtiva do leite a disputar mercado internacional
Copo de leite, leite longa vida — Foto: Reprodução/EPTV

Copo de leite, leite longa vida — Foto: Reprodução/EPTV



Fonte: G1


09/09/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
ROTA SERTANEJA