NOTÍCIAS


Menina escreve carta para irmã e avó que morreram em acidente de carro no Paraná, e postagem repercute na internet


Da saudade, surgiu uma carta. Cecília Boiczuk Figueiredo, de 11 anos, transformou a dor do luto em palavras, para poder seguir em frente sem a irmã, de dois anos, e a avó, de 70 anos. As duas morreram em um acidente de carro no Paraná.

A homenagem também foi uma forma da menina exteriorizar os sentimentos no momento mais difícil da vida, segundo a adolescente. (Leia, ao final da reportagem, a carta na íntegra.)

  • VÍDEO: Velório com barril de chope e cremação com pipoca viralizam na internet; psicóloga explica formas de lidar com luto
“Querida Catarina, nesses últimos dias, ando com uma saudade imensa de ti. Parece que estou vivendo um flashback de memórias que vivi com você. Você faz uma imensa falta na minha vida e sempre vai faltar um pedacinho do meu coração, que você está segurando aí de cima comigo”, escreveu para a irmã.
Irmã de 11 anos escreveu carta para a irmã Catarina como homenagem — Foto: Arquivo pessoal

Irmã de 11 anos escreveu carta para a irmã Catarina como homenagem — Foto: Arquivo pessoal

A carta foi publicada e repercutiu nas redes sociais, tocando o coração de gente que nem conhecia a família. Ofereceu consolo e força para outras pessoas que também estão vivenciando o luto.

“Eu sei que é um momento difícil para todo mundo, mas vocês têm que pensar nessa pessoa que se foi. Pense no que essa pessoa deixou na sua vida, sabe? Pense no que ela te ensinou. Ela não pode estar aqui conosco hoje, mas sempre vai estar olhando você aí, do céu, sempre te ajudando. Mantenham a calma, tudo vai passar com o tempo”, disse a adolescente.

Avó e neta morreram em acidente de trânsito na BR-376 — Foto: Arquivo pessoal

Avó e neta morreram em acidente de trânsito na BR-376 — Foto: Arquivo pessoal

O acidente aconteceu no dia 30 de janeiro de 2022. Cecília, o avô e uma tia também estavam no carro e sobreviveram.

A família de Londrina, no norte do Paraná, voltava da praia quando o carro em que estavam bateu em um caminhão BR-376, entre Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, e Curitiba.

Francine Possete, mãe das crianças, tinha retornado antes, de ônibus. A carta da filha tem ajudado a mãe constantemente.

“A Cecília, de 11 anos, me deu força para recomeçar. Eu releio a carta várias vezes e toda vez aquilo me dá forças, então aquela carta foi mesmo um bálsamo para tantas outras pessoas que sofrem. Através daquelas palavras de sensibilidade da Cecília, conseguem visualizar o luto de uma maneira diferente, que é buscando a alegria que essa pessoa deixou, porque voltar não vai mais, então tem que preservar as alegrias.”

Cinco pessoas da mesma família estavam no carro no dia do acidente na BR-376 — Foto: RPC/Reprodução

Cinco pessoas da mesma família estavam no carro no dia do acidente na BR-376 — Foto: RPC/Reprodução

Em meio a tantos acidentes fatais, sempre fica uma família e um grupo de amigos arrasados. A mensagem da adolescente ajuda a lembrar que essas tragédias não são meras estatísticas.

A menina disse ainda que sempre foi muito apegada com a avó, pois passava as tardes com ela e com a irmãzinha.

“A gente sempre tem que relembrar os momentos bons que a gente viveu com elas. Então é uma forma da gente aquecer o nosso coração e levar essa mensagem da pessoa que viveu com a gente.”

Conforme as palavras de Cecília, a oportunidade de conhecer, pegar no colo e viver com Catarina por dois anos formou as melhores lembranças que ela poderia ter guardado no coração.

“Você é uma garotinha incrível, que eu peço a Deus e à mãezinha do céu todos os dias para que cuide de você muito bem, pois você e a vovó merecem o melhor carinho do mundo e o melhor abraço para abraçar”, escreveu em outro trecho da carta.

De acordo com a psicóloga Michele, a forma de lidar com o luto pode mudar muito dependendo da cultura das pessoas.

“Nós, como latinos, temos muito a questão de entrar em contato com a dor, de velar, enterrar ou cremar em muito pouco tempo, em elaborar aquela dor de cara. Em outras culturas a gente acaba adiando um pouco esse sofrimento e vai lidando aos pouquinhos.”

A religião também é um dos fatores que podem influenciar nesse período.

Dependendo no que a família acredita, a forma de ter esperança no pós-morte pode ajudar a encarar o processo de perda com mais facilidade, segundo Michele.

Independentemente de como o momento de luto é enfrentado, respeitar o modo de cada um é essencial nesse momento tão delicado. Veja no vídeo abaixo.

Psicóloga fala da importância sobre o respeito ao luto

Psicóloga fala da importância sobre o respeito ao luto

Leia a carta na íntegra:

“Querida Catarina, nesses últimos três dias ando com uma saudade imensa de ti, parece que estou vivendo um flashback de memórias que vivi com você.

Ter a oportunidade de te conhecer, pegar no colo e viver com você nesses dois anos foram as melhores memórias que eu posso ter guardado em meu coração…

Mesmo com tão pouca idade, você deixou uma mensagem tão bonita para nós aqui na terra, me ensinou a partilhar a vida com alguém, me ensinou a ter a empatia e me ensinou principalmente o que é simplicidade

Você é uma garotinha muito incrível, que eu peço pra deus e a mãezinha do céu todos os dias para que cuide de você muito bem, pois você e a vovó merecem o melhor carinho do mundo e o melhor abraço para abraçar.

Você faz uma imensa falta na minha vida e sempre vai faltar um pedacinho do meu coração, que você está segurando aí de cima comigo.

Cate, obrigada por ter salvado minha vida, se não fosse sua cadeirinha eu não estaria aqui escrevendo essa mensagem para você, eu sou muito grata a tudo que você fez por mim desde o momento que você nasceu.

Dia 27 de agosto de 2019, às 08:18 da manhã recebi a notícia que você nasceu, meu coração se encheu de alegria e eu só sabia agradecer a Deus por ele me dar a oportunidade de me dar uma irmã.

E como a nossa avó falava, Deus dá e Deus tira, ciclos são iniciados e ciclos terminam, a sua missão terminou, não da forma que esperávamos, mas da forma que era pra acontecer, e não temos como mudar isso.

Estou tentando me manter firme por você e pela vovó, lembro dela falando para mim “Cecilia, seja forte, não fica de cabeça baixa pois não vai adiantar nada, se você tem fé, reza e entrega nas mãos de Deus”

Assim estou fazendo, entregando meu futuro nas mãos dEle e pedindo para que tudo fique bem com o tempo…

Catarina eu amo você, fique bem e cuide de todos nós aí no céu.”

VÍDEO: Mais assistidos do g1 PR



Fonte: G1


24/02/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
NATIVO E SERTANEJO