NOTÍCIAS


Mulher sequestrada e agredida pelo ex-companheiro revela momentos de pavor: 'Tinha certeza que eu ia morrer'


Depois de ser sequestrada e agredida pelo ex-companheiro, o medo toma conta da vítima, moradora de Maringá, no norte do Paraná, que prefere não se identificar.

Câmeras de segurança registraram o momento em que o ex dela a agrediu e a levou do trabalho a força. Assista no vídeo abaixo

  • AmarElas: entenda o ciclo da violência doméstica e saiba como denunciar

O suspeito dos crimes, Rafael Cirino, está preso nesta quarta-feira (2). Mesmo assim, a vítima afirmou estar preocupada com a própria segurança e enfrenta traumas.

“Eu ainda estou vivendo um pesadelo. Ainda estou com medo, com vergonha de tudo que aconteceu. Eu escuto barulho de carro e acho que é ele. Escuto qualquer barulho e não consigo dormir. Qualquer barulho me assusta.”
Câmera de segurança registra homem sequestrando e empurrando a ex, em Maringá

Câmera de segurança registra homem sequestrando e empurrando a ex, em Maringá

O caso aconteceu em um salão de beleza, no sábado (26). Em entrevista à RPC, a ex-companheira do suspeito disse que achou que não iria sobreviver.

“Ele invadiu o salão, me empurrou e me levou para o carro. No meio do caminho ele falava: ‘hoje você vai morrer, você acabou com a minha vida.’ Eu estava com o cinto de segurança, mas toda vez ele tirava meu cinto e corria muito na rodovia. Ele ia para cima dos carros, foi por Deus. Naquele momento achei que ia morrer. Eu tinha certeza que eu ia morrer.”

De acordo com a vítima, o relacionamento dos dois sempre foi conturbado, com agressões físicas e psicológicas.

“Quando ele estava sob efeito da droga sempre foi violento. Toda vez que ele aprontava alguma, me maltratava, era dentro de casa, as pessoas nunca viram. Eu sempre me senti culpada, eu tinha esperança que ele ia mudar, mas sempre foi piorando.”

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) negou o habeas corpus do suspeito.

A defesa de Rafael Cirino disse que o suspeito encontrou a esposa para que pudessem discutir detalhes da relação amorosa conturbada do casal e nega as acusações de sequestro ou agressões, e que os detalhes do caso serão melhores apurados com o decorrer das investigações.

Enquanto o processo ocorre, a vítima espera que a Justiça seja feita e que o ex-continue preso.

“A primeira vez que ele entrou no salão, ele me agrediu, me deixou dois dias no hospital, não teve justiça, ele continuou andando, rindo da minha cara, me ameaçando. Dessa vez eu espero que a justiça seja feita, porque eu não quero morrer, eu quero viver. Não quero viver presa dentro da minha própria casa. Eu quero ser livre, eu quero trabalhar”, disse.

Câmeras de monitoramento

Nas imagens é possível ver que o homem, Rafael Cirino, abriu a porta e foi em busca da ex-companheira. Ele a retirou do local com empurrões e a obrigou entrar no carro. Assustada, a vítima tentou se afastar, mas é novamente empurrada.

Em depoimento à polícia, a vítima disse que estava sendo empurrada com força e que foi agredida dentro do carro. Ela contou ainda que foi levada para um motel, onde foi obrigada a fazer sexo.

A polícia foi chamada por uma colega de trabalho da vítima assim que os dois deixaram o salão de beleza. Segundo o delegado Luis Alves, parentes da mulher convenceram o homem a levá-la para casa.

No momento em que os dois chegaram, a polícia estava no local e conseguiu prender o suspeito. O delegado afirmou que houve resistência.

“Ele entrou em luta corporal e, durante essa luta, houve um disparo que acertou o pé dele”, disse.
Câmera flagrou mulher sendo empurrada — Foto: Câmera de segurança

Câmera flagrou mulher sendo empurrada — Foto: Câmera de segurança

Segundo a Polícia Civil, esta não foi a primeira vez que a vítima foi agredida no local de trabalho. A primeira foi em dezembro de 2021, depois que os dois se separaram.

Conforme as investigações, à época, a mulher se escondeu na cozinha do salão. Ainda assim, ele invadiu o local e a agrediu com socos.

Depois disso, a mulher conseguiu uma medida protetiva contra o ex-companheiro.

Em 2018, o homem já havia sido condenado pelo crime de violência doméstica.



Fonte: G1


02/03/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107