NOTÍCIAS


Praça Marechal Floriano Peixoto, em Ponta Grossa, é tombada pelo patrimônio cultural | Campos Gerais e Sul


A Praça Marechal Floriano Peixoto, que marca o começo da urbanização de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, foi tombada pelo Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (Compac) neste ano.

Com a mudança, a intenção é preservar as características históricas da região, perto dos 200 anos da cidade.

No local, não há placa explicativa, mas um pequeno monumento representa o marco zero da cidade.

Um pequeno monumento representa o marco zero de Ponta Grossa — Foto: Reprodução/RPC

Um pequeno monumento representa o marco zero de Ponta Grossa — Foto: Reprodução/RPC

Ponta grossa foi se desenvolvendo ao redor da praça, que mudou bastante comparando com acervos fotográficos antigos. O coreto, por exemplo, não existe mais.

Ponta grossa foi se desenvolvendo em volta da praça que mudou bastante comparando com acervos fotográficos antigos — Foto: Reprodução/RPC

Ponta grossa foi se desenvolvendo em volta da praça que mudou bastante comparando com acervos fotográficos antigos — Foto: Reprodução/RPC

O espaço foi palco também da demolição e reconstrução da Catedral Sant’Ana de Ponta Grossa.

Espaço foi palco também da própria demolição e reconstrução da Catedral de Ponta Grossa — Foto: Reprodução/RPC

Espaço foi palco também da própria demolição e reconstrução da Catedral de Ponta Grossa — Foto: Reprodução/RPC

O engenheiro civil e mestre em planejamento urbano, Carlos Mendes Fontes Neto, faz parte de um grupo chamado “Sherlock Holmes Cultura”, que reúne profissionais de várias áreas, professores e cidadãos preocupados com a preservação.

O grupo ressalta a importância de manter uma identidade de Centro Histórico em Ponta Grossa com a praça integrada a prédios que também resistem. Três deles já tombados, como o Museu Campos Gerais, que está em reforma.

Em 2020, o grupo protocolou um pedido de tombamento da praça.

“A praça já sofreu duas ou três grandes intervenções, mas o traçado das alamedas, dos canteiros, permanece bastante original. O calçamento ainda é original, e o monumento mais significativo para a cidade ainda existe aqui, é o monumento feito em homenagem aos fundadores, o obelisco, que foi erguido no centanário da cidade”, afirmou Neto.

Esta foi a primeira vez que uma praça foi tombada em Ponta Grossa pelo Conselho Municipal de Patrimônio Cultural.

Após o tombamento, o que a população espera é uma maior preservação de todo patrimônio. As placas de vários monumentos foram furtadas há bastante tempo e precisam de reposição.

O tombamento deve ajudar também na proteção das árvores, da calçada feita em estilo petit pavê e do monumento erguido em 1973 em homenagem aos 150 de Ponta Grossa, onde até foi colocada uma cápsula do tempo, com documentos e objetos da época, e que será aberta no ano que vem.

“O tombamento não é só a questão da estrutura física, mas é um diálogo, é uma imagem histórica da cidade sendo preservada para que a gente não continue derrubando com os pés o que os nossos antepassados construíram com as mãos e com tanto carinho”, disse a historiadora Márcia Maria Dropa.
Praça Marechal Floriano Peixoto, em Ponta Grossa, é tombada pelo patrimônio cultural — Foto: Reprodução/RPC

Praça Marechal Floriano Peixoto, em Ponta Grossa, é tombada pelo patrimônio cultural — Foto: Reprodução/RPC



Fonte: G1


22/06/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
SUCESSOS DA TARDE