NOTÍCIAS


Procuradora municipal de Londrina é demitida após viajar para os EUA durante atestado médico


Uma procuradora municipal de Londrina, no norte do Paraná, foi exonerada após viajar para os Estados Unidos enquanto estava de atestado médico, segundo a prefeitura.

A procuradora municipal Marcia Nakagawa Rampazzo tinha mais de 25 anos de carreira e teve a exoneração publicada, na terça-feira (12), no Diário Oficial do município.

  • Dentista é demitido da prefeitura após ficar 19 anos afastado por licenças médicas, em Londrina, diz corregedoria
  • Funcionários de empresa apresentam mais de 20 atestados médicos falsos, em Paranavaí

Conforme o corregedor-geral do município, Jefferson Bento Costa, a apuração do caso começou após uma denúncia chegar à corregedoria.

Foi verificado que a servidora viajou duas vezes para o exterior. Em uma dessas vezes, ela estava de atestado médico pela prefeitura, conforme o corregedor-geral.

“Foram várias condutas irregulares que foram confirmadas no processo. Duas viagens que foram feitas para o exterior durante afastamento médico. E uma conduta de insubordinação, em que ela deixou de cumprir uma ordem direta do procurador-geral, que foi reiterada algumas vezes para que fosse feita certa atividade, mas isso não foi cumprido”, disse.

O g1 aguarda retorno da servidora sobre o caso tratado como má conduta.

“Nesses casos, em que há indícios de atividade e atestado médico, fica ao nosso entender evidente um prestígio de atividade particular em detrimento da atividade pública. Então, um servidor apresentou um documento médico para ser afastado do serviço, então foi conseguido para ele um tempo para se tratar e se recuperar, e ao invés de dedicar esse tempo, ele exerceu outras atividades, seja remunerada e de lazer. Sendo que a má conduta, a insubordinação grave, é um desses dispositivos que podem configurar a demissão”, explicou o corregedor-geral.

Segundo a corregedoria, em 2022, seis denúncias por má conduta foram registradas no município. Quatro delas são referentes a servidores que atuam em outro ofício, o que é proibido.

Denúncias anônimas de irregularidades praticadas por servidores podem ser feitas pelo telefone (43) 3372-4530.

“A corregedoria não exerce esse papel em campo, in loco, até por não termos estrutura e não ser nosso papel. A corregedoria atende basicamente por denúncias. Existe a competência da corregedoria de atuar como denúncia aquelas situações que sejam irregulares, mas como nosso serviço é interno então isso corre de maneira esporádica. Nós dependemos muito das denúncias da população e dos próprios servidores a respeito dessas irregularidades”, explicou o procurador.



Fonte: G1


14/04/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107