NOTÍCIAS


Rota das Lavandas entra para o roteiro do turismo rural paranaense


A iniciativa que já conta com cinco produtores: em Palmeira, Toledo, Londrina, Umuarama e Carambeí. A previsão é que todas elas estejam abertas até maio de 2022.

Segundo o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, o Brasil importou mais de 120 toneladas de óleo de lavanda em 2021.

  • Aos 83 anos, produtor nascido no Japão aposta em turismo rural no Paraná
  • Turismo rural é oportunidade de negócio para família produtora de morangos, no Paraná

Uma das propriedades da rota, já em funcionamento, está localizada na Colônia Witmarsum, em Palmeira, região de Curitiba. Em meio às araucárias a lavanda motiva suspiros, belas fotografias e passeios turísticos.

Lavanda pode ser usada para o preparo de chás, óleos e comidas. — Foto: Terra da Gente/Arquivo pessoal

Lavanda pode ser usada para o preparo de chás, óleos e comidas. — Foto: Terra da Gente/Arquivo pessoal

Dagmar Simone Janzen Lemos é a dona da propriedade e conta que encontrou inspiração no próprio país.

“Eu comecei a me apaixonar quando consegui fazer algumas viagens pelo Brasil, por alguns lavandários que já existem, e foi assim que eu tive mais conhecimento e trouxe algumas mudas”, lembra ela.

Por seu efeito sedativo e calmante, lavanda é indicada para o quarto — Foto: Divulgação

Por seu efeito sedativo e calmante, lavanda é indicada para o quarto — Foto: Divulgação

Antes da chegada das mudas, o lugar pertencia às ovelhas, ao artesanato e aos produtos coloniais. Até que a Dagmar lançou o desafio a Davi André Gonçalves Lemos, o companheiro dela, e o projeto lilás conquistou os dois.

“A gente conhecia muito pouco de lavanda, gostava do cheirinho dela, da cor, mas conhecer mesmo as propriedades a gente ainda não sabia. Foi quando ela me provocou e fomos. Plantamos primeiro uns seis pés, plantei perto do nosso quarto e dali eu olhei para o campo que tinha apenas os animais e tive uma visão dele todo lilás. Então, pensei ‘por que não fazemos um campo de lavanda?!’ A Dagmar disse que topava e foi assim que começamos. Vendi os animais e começamos a fazer tudo aqui”, conta.

Durante a visita, Dagmar explicou como se deve fazer para sentir o perfume da lavanda. A curiosidade é que não é diretamente na flor. Deve-se passar as mãos delicadamente do caule até o topo.

Dagmar conta que se inspirou em outros lavandários brasileiros. — Foto: Marcela Zampieri/ TV Vanguarda

Dagmar conta que se inspirou em outros lavandários brasileiros. — Foto: Marcela Zampieri/ TV Vanguarda

A coordenadora estadual de plantas medicinais, aromáticas e condimentares do IDR-PR, Lais Gomes, explica as propriedades da planta.

“Ela tem o linalol e o acetato de linalia que causam uma tranquilidade na pessoa que utiliza na aromaterapia ou mesmo como medicamento. E tem os chás da lavanda. Tem essa capacidade de acalmar a ansiedade. E toda planta medicinal é melífera. Então, a lavanda tem essa capacidade de ter a abelha como sua companheira ali na produção. Isto é, ela tem o perfume que ajuda a fazer a atração desses insetos e ela tem essa capacidade medicinal também”, afirma.

Hoje a propriedade recebe turistas com passeios guiados. Os visitantes aprendem que a lavanda tem muito mais a oferecer, além da exuberância e do aroma.

A propriedade oferece também meios de saborear a lavanda. Ela está no sorvete e no chocolate. Tobias Janssen já vendia chocolates tradicionais no lavandário e arriscou transformar a planta em ingrediente.

“Foi um desafio, mas a gente conseguiu fazer um chocolate bem gostoso com a lavanda. Para preparar, eu uso o óleo essencial e também a lavanda seca, a flor no processo. Vai pouco porque a lavanda exala um aroma muito forte, muito gostoso”, explica Janssen.

Reveja os vídeos do Caminhos do Campo



Fonte: G1


10/04/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107