NOTÍCIAS


Secretaria da Saúde declara fim da epidemia de H3N2 no Paraná


De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, houve um grande número de aglomerações no final de 2021 e, com isso, a transmissão do vírus se intensificou.

“Foi uma epidemia junto com a pandemia, o alerta foi inevitável para conter a transmissão. Com a diminuição dos casos e a chegada da nova vacina da gripe, que combate o vírus, o cenário tende a melhorar”, afirmou.

Quando foi decretada a epidemia sazonal, o estado registrava 832 casos e 12 mortes – número maior do que o habitual para a época do ano, já que era verão. Dos 399 municípios, 144 tinham, pelo menos, um caso da doença.

Situação da doença no estado

Na terça-feira (29), a Sesa confirmou mais três óbitos e 11 novos casos de H3N2. Com isso, o Paraná soma 2.123 casos e 118 mortes pela doença. Os diagnósticos estão sendo monitorados e contabilizados desde dezembro do ano passado.

Os novos óbitos foram registrados em Cascavel, Curitiba e Londrina. Tratam-se de dois homens de 87 e 92 anos e uma mulher de 79 anos.

Os pacientes estavam internados, possuíam comorbidades e não tomaram a vacina contra a Influenza no ano passado, segundo a Sesa. Os dados foram coletados por meio do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL).

Campanha Nacional de Vacinação

A 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza ocorre de 4 de abril a 3 de junho de 2022. O “dia D” de mobilização social será em 30 de abril.

A partir do “dia D”, a vacinação das crianças de seis meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) passará a ser contemplada.

A nova versão da vacina da influenza, que será distribuída, é trivalente, composta pelos vírus H1N1, H3N2 (Darwin) e a cepa B, e é produzida pelo Instituto Butantan.

“As vacinas já estão chegando aos municípios para o início da campanha, na próxima segunda-feira (4). Idosos e profissionais de saúde serão os primeiros e depois vamos continuar com os grupos prioritários”, disse Beto Preto.

A transmissão dos vírus da Influenza ocorre com maior frequência durante os meses mais frios, no outono e inverno, podendo ter circulação em outras épocas do ano, devido às diferenças geográficas e climáticas.

De acordo com o Ministério da Saúde, o termo “epidemia” é utilizado quando ocorre um aumento no número de casos de uma doença em uma larga área geográfica.

Vídeos mais assistidos do g1 PR:



Fonte: G1


30/03/2022 – Rota do Sol FM

SEGUE A @ROTADOSOLFM

(45) 3287-1475

rotadosolfm@hotmail.com
Boa Vista da Aparecida – PR
Rua Celmo Miranda, 802 – Alto da Colina

NO AR:
CONEXÃO 107